Araucária, 25 de dezembro de 2011

NOTÍCIAS

CME adia decisão sobre aumento de estudantes por turma

Ação de professoras e educadoras infantis evitou a aprovação da medida. A Smed vai continuar pressionando para inchar as turmas dos três primeiros anos do Ensino Fundamental. Os servidores vão permanecer alertas

Apesar da pressão da Secretaria da Educação, o Conselho Municipal de Educação acabou por não decidir sobre o pedido para se permitir três estudantes a mais por turma nos três anos iniciais do Ensino Fundamental. A reunião extraordinária convocada para analisar esta questão foi realizada na manhã desta sexta-feira, 22 de dezembro.

A votação não ocorreu devido ao pedido de vistas apresentado pela representante dos servidores da educação no quadro geral, Melissa Keune.

A professora Verieli Della Justina, da representação do Magistério no CME, apresentou relatório ao pedido de vistas ao parecer sobre alterações na Resolução 02/2010. Verieli é coordenadora da Comissão Permanente do Ensino Fundamental.

Entre seus argumentos, a professora lembrou que a resolução de 2010 deu prazo para o governo municipal viabilizar as turmas com número recomendado. Isto deveria ter sido feito até 2011, seis anos atrás. “A resolução atual é fruto de amplo debate e levou longo período para ser implantada. Assim, observamos o vagaroso processo para o avanço das políticas públicas e um aligeiramento na decisão por medidas de retrocesso”, ressalta Verieli.

Agora que o governo sofre pressão do Ministério Público para cumprir seu dever, a Smed quer aumentar número de estudantes por turma a todo custo e precisa passar pelo CME.

Por isto, o conselho realizou duas reuniões extraordinárias nesta semana, às vésperas do Natal. Na terça-feira, 19, a Smed conseguiu aumentar de 16 para 19 do número máximo de crianças nas turmas do pré II.

Como a sessão desta sexta, 22, não liquidou a questão, uma nova reunião extraordinária pode ser convocada neste período de recesso e de férias. No final da manhã, a Smed já tentava obter o apoio da maioria dos conselheiros para fazer a convocação.

O Magistério vai permanecer firme na luta e vai convocar a categoria sempre que necessário.

Fique alerta!

Na foto, professores e sevidores do quadro geral comemoram o adiamento da decisão