Araucária, 25 de dezembro de 2011

NOTÍCIAS

Professoras aposentadas estão em movimento

No encontro de abril, as professoras aposentadas trataram do uso do espaço da Casa Eliseu Voronkoff, do FPMA e das pautas das aposentadas na Campanha de Lutas 2018

No encontro do Coletivo de Aposentadas que ocorreu nesta semana, tivemos a participação de Ana Paula de Andrade Frazão, representante da Casa Elizeu Voronkoff. Ana conversou sobre o novo espaço de Cultura de Araucária, contextualizando o quanto a cidade perdeu ao longo do tempo com a falta de investimentos e incentivos à cultura.

Ana convidou as trabalhadoras aposentadas a conhecer aquele espaço e participar das atividades desenvolvidas. O grupo decidiu realizar na Casa Eliseu Voronkoff o encontro do coletivo do mês de maio. Será no dia 28 de maio, segunda-feira, ás 13h30min.

As professoras Tatiane Penkal e Márcia Resner fizeram o  repasse de como foi a última reunião com o governo. Apesar da insistência da comissão em arrancar compromissos junto ao governo, os avanços foram mínimos. O prefeito estava representados pelos secretários de Governo, Genildo Carvalho, e de Educação, Henrique Rodolfo Theobald, o procurador da PGM Simon Quadros e a diretora de Governo Monah Zein.

A comissão cobrou uma resposta em relação às pautas protocoladas em dezembro de 2017. Ficou agendada a próxima reunião para o dia 10 de maio. Como o governo sabe que aposentado não pode fazer greve, não há o menor interesse em resolver as pendências dessas professoras. Por isto é importante as aposentadas se inserirem na Campanha de Lutas do magistério e na definição de formas alternativas de pressão sobre a administração municipal.

Para falar sobre o FPMA, contamos com a presença dos professores conselheiros do fundo, Hector Paulo Burnagui (Administrativo) e Márcia Resner (Fiscal). Hector explicou como está a situação das pedagogas. O professor contextualizou a atual composição do FPMA, pontuando que contamos com apenas quatro representantes do magistério que realmente atuam em prol das/os trabalhadoras/es. Márcia e Hector reforçaram a importância da união e organização da luta.