Araucária, 25 de dezembro de 2011

NOTÍCIAS

Advogado do Sismmar denuncia prática antissindical

O Ministério Público do Trabalho realizou audiência pública com o tema Atos Antissindicais.O advogado Vitor Leme representou o Sismmar e levou a denúncia de prática antissindical cometida pelo prefeito

zGqJe4xuUhI

O Ministério Público do Trabalho realizou na manhã desta quarta-feira, 20 de junho, uma audiência pública com o tema Atos Antissindicais.

O advogado Vitor Leme, do escritório Bentivenha Advocacia Social, representou o Sismmar e levou a denúncia de prática antissindical cometida pelo prefeito Hissam.

Vitor Leme informou os presentes que a negociação coletiva estava em andamento. “Então, a Prefeitura, do nada, de forma autoritária, enviou ofícios aos dois sindicatos de servidores públicos avisando que as negociações estavam canceladas”.  O prefeito alegou má educação dos sindicatos, radicalismo e criação de clima hostil para negociações. “Foi algo que não aconteceu, pois as reuniões foram tranquilas e as atas foram assinadas”, relatou o advogado.

O que de fato aconteceu foi a recusa dos sindicatos de aceitarem a precarização que o governo propõe. “Houve uma defesa firme dos sindicatos pelos direitos dos servidores”, ressaltou.

O prefeito enviou aos sindicatos os ofícios cancelando as negociações e, ao mesmo tempo, anunciou pelo jornal da cidade qual seria o dissídio coletivo para os servidores. Além disto, criou mecanismos de comunicação direta com os servidores.

Com isto, Hissam procura ignorar a existência dos sindicatos e o direito dos sindicatos à negociação coletiva, garantido constitucionalmente. Querer fazer a conversa diretamente com o servidor.

Se os sindicatos, que são instituições coletivas, firmes, já ficam vulneráveis frente ao Estado e às grandes empresas, o que a gente vai imaginar de uma negociação de forma individual, de forma direta com os trabalhadores.

“Eu vim aqui denunciar o que vem ocorrendo em Araucária e solicitar a ajuda do MPT para combater essa prática antissindical que, a gente percebe, não é específica de Araucária”, declarou o assessor jurídico do Sismmar.