Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária.

Search
Close this search box.

Na madrugada de 1º de julho a Câmara dos Deputados não aprovou a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos de idade.

Inconformado com a derrota, o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) atropelou o regimento da casa e recolocou a proposta em votação. Fez apenas pequenas mudanças para tentar despistar o golpe. Conseguiu que 22 deputados mudassem de posição.

A segunda votação a redução da maioridade penal teve 323 votos a favor, 155 contrários e 2 abstenções – na noite anterior, o placar havia sido de 303 a 184.

Do Paraná, o deputado Takayama (PSC) não havia votado e apareceu para votar a favor.

Não foi o primeiro golpe regimental promovido por Cunha. Quando ele não conseguiu aprovar o financiamento empresarial para candidatos, usou o mesmo subterfúgio e aprovou o financiamento empresarial de partidos.

Confira a posição de cada um: 

Aliel Machado (PCdoB) NÃO
Diego Garcia (PHS) NÃO
Hermes Parcianello (PMDB) Sim
João Arruda (PMDB) NÃO
Osmar Serraglio (PMDB) Sim
Sergio Souza (PMDB) Sim
Dilceu Sperafico (PP) Sim
Marcelo Belinati (PP) Sim
Nelson Meurer (PP) Sim
Ricardo Barros (PP) NÃO
Rubens Bueno (PPS) NÃO
Sandro Alex (PPS) Sim
Giacobo (PR) Sim
Luiz Nishimori (PR) Sim
Leopoldo Meyer (PSB) NÃO
Luciano Ducci (PSB) Sim
Edmar Arruda (PSC) Sim
Takayama (PSC) Sim
Evandro Roman (PSD) Sim
Alfredo Kaefer (PSDB) Sim
Luiz Carlos Hauly (PSDB) Sim
Rossoni (PSDB) Sim
Assis do Couto (PT) NÃO
Enio Verri (PT) NÃO
Toninho Wandscheer (PT) NÃO
Zeca Dirceu (PT) NÃO
Alex Canziani (PTB) NÃO
Christiane Yared (PTN) NÃO
Leandre (PV) Sim
Francischini (SDD) Sim

A imagem foi capa da edição brasileiro do Le Monde Diplomatique

what you need to know

in your inbox every morning