suspensão do calendário escolar

suspensão do calendário escolarA Secretaria Municipal de Educação (SMED) disponibilizou, no dia 25 de maio, um formulário no qual os trabalhadores da educação devem se posicionar sobre a aprovação, ou não, dos alunos que estão tendo que enfrentar as dificuldades do Ensino a Distância. Trata-se, novamente, de uma tentativa de dividir a categoria, já que a mantenedora joga toda a responsabilidade para os profissionais.

O debate sobre a aprovação ou reprovação dos alunos é complexo. Não há como defender a aprovação, já que o EaD é um modelo de ensino que não supre as necessidades e especificidades do processo de ensino-aprendizagem. E também não há como se posicionar pela reprovação dos alunos, já que, mesmo sem condições, eles foram obrigados a aderir à educação remota.

A posição do SISMMAR continua sendo a mesma desde o início da pandemia de Covid-19: pela suspensão do calendário escolar. O EaD é uma farsa que não contempla a real necessidade dos alunos da rede pública. É uma suposta “solução” para esses tempos de surto de coronavírus que desconsidera completamente a realidade das famílias.

Portanto, o sindicato reforça a necessidade de unidade na luta. Este é o momento em que os professores devem estar unidos contra todos os ataques dos governos e na defesa irrestrita dos nossos direitos. Não é a primeira vez que a SMED tenta dividir a categoria com esse falso discurso democrático. Cabe a nós impedir que a mantenedora, que atua como braço da gestão Hissam, desmobilize a luta.

Nesta quarta-feira (3), haverá duas reuniões virtuais entre a Secretaria e os professores pedagogos e assessores pedagógicos das escolas, CMEIs e CMAEEs. O SISMMAR orienta para que os trabalhadores utilizem esse espaço para reafirmar a defesa pela suspensão do calendário escolar.

Nossa prioridade continua sendo a defesa da vida! FIRMES