Dirigentes do Sismmar, professores da base da categoria e aposentadas participaram de reunião com a administração municipal na manhã desta quinta-feira, 20 de fevereiro.

O encontro ocorreu a pedido do sindicato para debater a pauta prioritária da categoria.

O reajuste salarial de 7% está confirmado. O índice se refere à inflação do período entre junho de 2012 e maio de 2013. Apesar do atraso de nove meses, a PMA não cogita pagar os valores atrasados.

Sobre as promoções e progressões de 2013 e 2014, os representantes da prefeitura afirmaram que, enquanto o gasto com pessoal não baixar do índice prudencial de 51,3% da arrecadação, estes avanços não serão pagos. O último quadrimestre de 2013 fechou em 51,95%. O próximo índice será fechado em 30 de abril.

Segundo o secretário Ronaldo Martins, a base dos problemas da Prefeitura Municipal é financeira. Por isto não foi implantada a hora-atividade de 33,3% e somente serão feitas novas nomeações de concursados para substituir professores que se aposentaram ou faleceram. Vinte professores e sete pedagogas serão chamados.

Mas para a direção sindical está evidente que também não existe vontade política para priorizar a educação e a saúde e seus trabalhadores.

A única boa notícia, além da confirmação do reajuste, é a implementação do Fundo Rotativo das Escolas, no montante de quatro reais por aluno.

Há também a perspectiva de que seja revisto o parecer da Procuradoria Geral do Município contra os avanços verticais da Docência I. A própria Secretaria da Educação se opõe ao argumento usado no final de ano para rejeitar essas promoções.