coluna SISMMAR

coluna SISMMAR

Coluna do SISMMAR publicada na edição impressa do Jornal O Popular do Paraná desta quinta-feira (26)

No dia 6 de setembro, os professores municipais de Araucária estiveram reunidos em assembleia para deliberar sobre as pautas do magistério e definir os encaminhamentos. Na ocasião, a categoria decidiu dar um basta à espera de respostas do governo Hissam, já que houve o entendimento de que a gestão estava enrolando os trabalhadores.

Na assembleia também ficou definido que, além de fazer a pressão política, a representação dos trabalhadores, o SISMMAR, iria informar que o governo tem até o dia 4 de outubro para dar respostas oficiais, por escrito, às reivindicações dos professores. Caso contrário, seria realizada uma paralisação dos servidores em Araucária, no dia 10 de outubro.

Entre as principais reivindicações, estão o descongelamento da carreira dos professores e professoras da Docência I, reenquadramento de servidores aposentados, aposentadoria especial das professoras pedagogas, 33,33% de hora-atividade para todos os profissionais do magistério, transparência no processo de estadualização e fim do regime de dualidade que ocorrem em regime diurno ou concomitante e retomada do patrimônio público.

No dia 9 de setembro, o SISMMAR entregou um ofício para a Prefeitura, informando da decisão dos trabalhadores em assembleia e solicitando uma reunião com representantes do município para debater as reivindicações da categoria.

Essa reunião, que estava inicialmente prevista para o dia 23 de setembro – mas foi desmarcada pelos representantes do município –, aconteceu na manhã de ontem (25), na Prefeitura. Na ocasião, os representantes da gestão Hissam se comprometeram em dar uma resposta oficial, por escrito, à TODAS as reivindicações prioritárias dos servidores do magistério, até a data indicada: 4 de outubro.

Antes disso, o posicionamento da equipe do prefeito vinha sendo diferente. A prática foi a de embromar os professores da rede municipal, desmarcar reuniões em cima da hora e tratar com descaso as reivindicações do magistério.

Assim sendo, provamos, mais uma vez, que é a união e organização dos trabalhadores a melhor ferramenta para avanços reais nas negociações com o governo. Diante de um anúncio de paralisação caso a enrolação continuasse, a gestão finalmente se comprometeu em dar respostas oficiais à cada uma das reivindicações na data estabelecida pela categoria.

Mesmo com a sinalização positiva do governo, o SISMMAR continuará vigilante em relação às ações da Prefeitura. Caso esta seja mais uma promessa feita e não cumprida pelo governo Hissam; isto é, caso os representantes do município não apresentem as respostas concretas e oficializadas no dia 4 de outubro, a deliberação da assembleia se mantém: mobilização dos professores para obter avanços reais nas negociações.

Continuaremos FIRMES na defesa de todos os nossos direitos! A Luta Muda a Vida!