Após prefeito prometer reenquadramento em julho, aposentadas continuam esperando

Em 2019, ainda durante as negociações de data-base em abril, o prefeito Hissam prometeu que o reenquadramento das aposentadas do magistério no Plano de Carreiras, Cargos e Vencimentos (PCCV) era prioridade, e que seria efetuado no mês de julho. À época, Hissam disse que era “uma questão humanitária”, mas mudou de ideia rápido.

Quando chegou o mês de julho, a promessa não foi cumprida, como já é de praxe desta gestão. Posteriormente, em assembleia, em conjunto com o SISMMAR a base do magistério municipal de Araucária votou para que houvesse uma paralisação em outubro caso a prefeitura não oficializasse suas promessas por escrito, com um prazo para que fossem cumpridas.

Entre as reivindicações feitas, estava o reenquadramento. E na iminência de uma paralisação, a equipe do governo Hissam oficializou as promessas por escrito, inclusive deu o prazo. Mas, novamente não cumpriu e o reenquadramento não foi efetuado em 2019. Assim, as aposentadas esperam até agora que a prefeitura honre sua palavra, já que aguardam há quase 12 anos pelo reenquadramento no PCCV.

Enquanto aguardam, as aposentadas ainda continuam com aposentadorias em valores baixíssimos. Algumas, inclusive, já morreram esperando que a Prefeitura lhes pagasse o que deve. Mas o prefeito Hissam brinca com os sentimentos das pessoas e faz pouco caso de uma reivindicação tão justa e tão séria como a questão do reenquadramento.

A direção do SISMMAR, por sua vez, sempre deixou claro que a ação coletiva não havia sido encerrada na justiça. Atualmente, está no Superior Tribunal Federal (STF) aguardando apenas um recurso da prefeitura.

CHEGA DE ENROLAÇÃO, HISSAM! PAGUE O QUE DEVE ÀS SERVIDORAS APOSENTADAS!