Professoras da Educação In­fantil. É assim que querem ser reconhecidas as hoje denomi­nadas atendentes infantis. Da mesma forma, elas lutam pela isonomia com as professoras do quadro do magistério que atuam em Cmeis.

Mesmo com diretrizes para a Educação Infantil previstas na LDB, a carreira destas profis­sionais da educação começou a mudar com a sanção da Lei 11.738, de 16 de julho de 2008. Esta lei regulamentou o piso sa­larial profissional nacional para os profissionais do magistério público da Educação Básica. Isto compreende desde a Educação Infantil até o Ensino Médio.

O piso estabelecido se re­fere aos profissionais com a formação em nível médio, na modalidade Normal, e com jornada de 40 horas semanais. Também assegura a hora-ativi­dade de um terço da jornada.

Até então, atendentes eram percebidas como auxiliares em creches. Porém a concepção de CMEI como centro educacional mudou esta perspectiva. Hoje, as atendentes realizam os mes­mos trabalhos que professores do quadro do magistério e, para ingressar na carreira, é exigi­da formação em Pedagogia.

Araucária readequou em parte o plano de carreira ao Piso Salarial Profissional Nacio­nal. No entanto, ainda precisa avançar para assegurar a hora­-atividade a essas profissionais e os direitos a recesso e férias, previstos aos professores do quadro do magistério.