retorno presencial

retorno presencialNo Conselho de Representantes, realizado nesta segunda-feira (22) de forma virtual, os trabalhadores da educação de Araucária definiram os encaminhamentos caso o prefeito insista em manter o retorno às aulas sem segurança. De forma geral, os direcionamentos rumam para a construção da greve. O que poderia mudar esse rumo seria o atendimento a uma das reivindicações da categoria: que o prefeito Hissam volte atrás na decisão sobre a volta às aulas e revogue o Decreto nº 35.583/2021, que suspende o ensino remoto.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Smed), as atividades presenciais devem ter início no dia 24 de março. No entanto, as professoras e professores exigem que Executivo e Secretaria voltem atrás nessa decisão e respeitem a resolução nº 01/2021 do Conselho Municipal de Educação (CME), que estabelece o ensino remoto até que os trabalhadores da educação sejam vacinados.

Na mesma linha, outra reivindicação é pela revogação da Instrução Normativa nº 01/2021, da Smed, que trata do ensino híbrido. A categoria não concorda com as orientações da Secretaria e a posição é pela manutenção do ensino remoto enquanto não há vacina. Caso o governo insista no retorno presencial neste momento, conforme deliberado em assembleia realizada no mês de dezembro, os trabalhadores vão entrar em greve.

Os professores e professoras nunca pararam de trabalhar durante a pandemia, inclusive trabalharam mais e utilizando seus pertences pessoais, como celular, computador e serviço de internet. Também queremos o retorno presencial, porém, a luta é para que esse retorno seja seguro para os trabalhadores e toda a comunidade escolar.

Comando de greve

É hora de intensificar a nossa mobilização em defesa da vida e contra os ataques do governo! Na reunião, a categoria deliberou pela criação de um comando de greve que será responsável por dialogar com a comunidade escolar sobre o perigo do retorno presencial neste momento, além de participar de mesas de negociação com a gestão Hissam e auxiliar nos demais encaminhamentos.

Requerimento de trabalho remoto

O SISMMAR orienta que os trabalhadores preencham o requerimento de trabalho remoto e insiram o trecho abaixo no campo de observações:

“Pela revogação do Decreto nº 35.583/2021, que suspende o ensino remoto, e cumprimento da Resolução do CME nº 01/2021, que estabelece o ensino remoto até que os trabalhadores da educação sejam vacinados!”

Sem vacina, sem retorno!

Diversos materiais, como cartazes, outdoors, panfletos e conteúdos digitais, serão desenvolvidos para dialogar com a população sobre o perigo da volta às aulas em meio à pandemia de Covid-19. A categoria também deve participar de uma assembleia com o SISMMAR antes da data de retorno presencial estabelecida de forma arbitrária pelo governo e pela Smed.

Converse com os colegas de sua unidade educacional, estudantes e familiares e fortaleça a luta em defesa da vida e pelo retorno seguro!

HISSAM, REVOGUE O DECRETO DE VOLTA ÀS ATIVIDADES PRESENCIAIS!