Segundo o censo de 2010, realizado pelo IBGE, em Araucária havia 14.461 pessoas com mais de 15 anos sem o Ensino Fundamental completo. Destes, 2026 estavam estudando. Os outros 12.435 estavam fora da escola. Os seja, 12% da população acima dos 15 anos não concluiu o Ensino Fundamental.

Este índice mostra que existe forte demanda para a Educação de Jovens e Adultos, em Araucária. Porém, ao invés de fortalecer a modalidade e aumentar a escolarização da população, a oferta vem caindo, principalmente na rede municipal. Em 2010 foram realizadas 453 matrículas. No ano seguinte, caiu para 421. Em 2012, para 302. Para 259 em 2013 e 145 no ano passado. No Estado, também. De 2013 para 2014, a oferta de EJA caiu de 1237 vagas para 860.

Estes foram alguns dados que a professora Maria Aparecida Zanetti (UFPR) trouxe para o nono Seminário Temático sobre EJA realizado pelo Sismmar. A atividade promovida para atualizar a Pauta de Lutas ocorreu na noite de sexta-feira, 8 de maio, na sede do sindicato.

A professora argumenta, que, apesar de números como estes, as autoridades geralmente afirmam que não tem demanda. Ocorre que no ensino dos 4 aos 17 anos é a demanda que pressiona a oferta. Os estudantes são obrigados a irem à escola e a administração pública é obrigada a oferecer vagas. Na Educação de Jovens e Adultos, a demanda precisa ser mobilizada. A administração pública precisa fazer campanha contínua junto às comunidades, clubes, igreja, etc. para fazer as pessoas a voltarem ás salas de aula.

E o ensino de EJA, a proposta curricular precisa dialogar com as possibilidades e as necessidades de cada indivíduo. Geralmente é um público que tem outros afazeres e compromissos com família e trabalho. Muitas vezes precisa de horários alternativos, não só o noturno, para atender diferentes escalas de trabalho, ausências temporárias e outras particularidades. Qualquer desenho fechado para EJA põe para fora o adulto, força a evasão.

É fundamental investir na Educação de Jovens e Adultos, afirma a professora Maria Aparecida, pois quanto melhor a educação recebida pelos pais, melhor será o desempenho dos filhos.