coluna SISMMAR

coluna SISMMARColuna do SISMMAR publicada na edição desta quinta-feira (01) do jornal O Popular

O feitiço virou contra o feiticeiro! O vereador Ben Hur chegou a afirmar em sessão plenária, no dia 10 de agosto, que os servidores e servidoras municipais que participavam do protesto contra os ataques à aposentadoria estavam cometendo um “crime” por terem entrado na Câmara Municipal, que estava fechada ao público. No entanto, conforme indica o desdobramento da operação Rota 66, quem comete crimes, na realidade, é o vereador.

Não é crime protestar contra os ataques da gestão Hissam, da qual Ben Hur se auto-intitula líder de governo na Câmara de Vereadores. Mas, é crime se aproveitar do cargo de vereador para agir em favor de interesses ilegais da empresa Lyx Engenharia, que atua no ramo de construção civil. Isso se chama corrupção e contra isso os servidores do município também lutam.

Durante todo o período de luta e organização contra os ataques ao Fundo de Previdência Municipal de Araucária (FPMA), Ben Hur se aproveitou do cargo para provocar e ofender os trabalhadores. Além de chamar os servidores de criminosos e vagabundos, o vereador tentou diversas manobras para aprovar os projetos de lei 2330, 2333 e 2334/2020, inclusive desrespeitando o regimento interno da Câmara e a Presidência da casa, a vereadora Amanda Nassar.

Nenhuma das manobras mal intencionadas de Ben Hur vingou porque os sindicatos e os trabalhadores e trabalhadoras de Araucária foram à luta. Os servidores tiveram que ocupar a Câmara porque em nenhum momento o prefeito Hissam ou os vereadores da base aliada aceitaram dialogar ou debater os projetos de lei que atacavam a aposentadoria, os salários e os aposentados. Criminoso é quem luta? Não, é quem se presta ao sujo papel de corrupto!

E não é a primeira vez que Ben Hur é pego em um esquema de corrupção. Vale lembrar que o vereador só pôde voltar à Câmara em março deste ano após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), já que havia sido suspenso do cargo no final de 2018 devido à uma ação penal impetrada pelo Ministério Público, que apontou a prática de crimes na legislatura anterior, quando Ben Hur ainda era assessor do então vereador Alex Nogueira.

Depois de toda essa “dança das cadeiras” na Câmara, é urgente que as figuras político-partidárias de Araucária façam uma autocrítica, pois posturas como a do vereador Ben Hur, o principal aliado de Hissam, não podem ser aceitas por nenhum parlamentar e menos ainda pelo prefeito. 

Afinal, toda vez que um vereador utiliza-se de seu cargo para atacar servidores públicos ou privilegiar grandes empresas em esquemas de corrupção, é menos dinheiro para saúde, educação, assistência social e segurança! Fora Ben Hur e toda a corja de corruptos que só atuam em interesses próprios e tentam enganar a população!