No próximo domingo, dia 2 de outubro, eleitores dos municípios brasileiros estão convocados a comparecer nas urnas para eleger os seus representantes para a Prefeitura e Câmara. São 485.908 candidatos a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em todos os 5.570 municípios brasileiros. O número de candidatos representa 3% do total de filiados aos 35 partidos que disputam as eleições em 2 de outubro.

Em quase metade dos municípios, principalmente os menores, disputam apenas dois candidatos a prefeito, só em 99 cidades há um único candidato a prefeito, mas em Campo Grande, por exemplo, há 15 deles. Aqui em Araucária, temos seis candidatos homens e apenas uma mulher.

A campanha tem sido cada vez mais restritiva e quase invisibilizou o processo eleitoral. Comícios domésticos, panfletos em caixa de correio, período curto de campanha marcar estas eleições. Se por um lado isto dá um equilíbrio econômico, por outro, esconde a disputa eleitoral. A corrupção dos políticos é assunto popular, porém a política pública é cada vez menos debatida.

Para o Legislativo, candidatos às sucessivas reeleições continuam no páreo. Há muita especulação sobre quem cai e quem entra. Mas a população só sabe o que fez e o que pensa o candidato nessa época. Os vereadores são responsáveis por aprovar leis, fiscalizarem o uso do dinheiro público, denunciar e investigar corrupção dentro da Câmara (CPI), etc. No entanto, política assistencialista é prática comum e motivo de orgulho na campanha.

Quem vota no candidato a vereador só porque ele é “gente boa”, “meu amigo”, “engraçado”, não faz as contas de que as vagas são distribuídas por quociente eleitoral. Ao votar em um candidato, o eleitor pode estar contribuindo para eleger um corrupto do mesmo partido/coligação que ele. É por isso que cada ano aparecem mais e mais candidatos a vereadores e deputados.

É sempre bom lembrar: não dê seu voto àquele candidato que fala com todas as letras que quer ganhar dinheiro. Não venda seu voto por churrasco, cesta básica ou tanque de gasolina. Seu voto tem valor, mas não tem preço.

Se o candidato promete benefícios individuais mostra que ele é capaz de negociar cargos e dinheiro público quando lhe for conveniente. É indício de que se trata de mais um corrupto! Caia fora, é roubada! E bom exercício de cidadania a todos e todas!