coluna SISMMAR

coluna SISMMARColuna do SISMMAR publicada na edição impressa do Jornal O Popular desta quinta-feira (5)

Assim como esteve presente em todas as mobilizações e atos deste ano em defesa da educação pública e gratuita e contra a reforma da Previdência, o SISMMAR estará presente no 4º Tsunami da Educação, em Curitiba. A manifestação será neste sábado (7) e terá concentração a partir das 16h30 na Praça Santos Andrade.

Desta vez, as ruas da capital paranaense serão ocupadas por estudantes, professores e todos que lutam em defesa da educação, da universidade pública, do emprego, da aposentadoria, da Amazônia, da soberania nacional e das liberdades democráticas; e contra o Future-se, a retirada de direitos e as privatizações.

O 3º Tsunami da Educação, que aconteceu no dia 13 de agosto, levou milhares de pessoas às ruas não apenas em Curitiba, mas em todas as regiões do Brasil. Com isso, provamos que os trabalhadores e estudantes continuam mobilizados, firmes e fortes na luta contra os cortes na educação e todos os outros ataques.

Desta vez, a manifestação também terá como pauta a defesa da Amazônia, que está sendo posta em chamas com o incentivo do governo federal liderado por Jair Bolsonaro. A floresta está sendo atacada pelo agronegócio há muitos anos, a diferença é que agora esses ataques estão ocorrendo em maior escala e com o aval do presidente da República. Isso é inaceitável, vergonhoso e extremamente preocupante!

O projeto Future-se, apresentado pelo Ministério da Educação (MEC) sob o comando do Ministro Contra a Educação, Abraham Weintraub, também será pauta do ato deste sábado. Em suma, trata-se de um projeto que pretende fazer com que as universidades públicas tenham uma dependência direta das iniciativas privadas, e isso nós também não vamos aceitar.

As universidades e os institutos, bem como as escolas e creches públicas, estão sofrendo profundos ataques dos governos há muitos anos, e ainda mais agora no governo Bolsonaro. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) já denunciou na imprensa, inclusive, que a partir deste mês de setembro não tem verba para pagar seus custos mais básicos, como água, luz, vigilância e outros serviços.

Portanto, neste dia 7 de setembro será o momento de ocuparmos de novo as ruas de Curitiba e de todo o Brasil a fim de deixar o nosso recado claro mais uma vez: não ficaremos calados diante dos ataques dos governos federal, estadual e municipal!

Vista-se de preto e participe das movimentações em sua cidade. O apoio da população neste momento grave da nossa conjuntura política é essencial para a luta contra os governos que já estão colocando em prática o plano de ataque à educação pública, à aposentadoria e ao meio ambiente.

FIRMES por nenhum direito a menos!