Com um número menor de participantes do que era esperado, está acontecendo em Araucária a XVII Sessão plenária do Fórum Municipal em Defesa da Escola Pública, Gratuita e Universal de Qualidade.

A abertura aconteceu na noite de 27 de agosto, no Centro de Convivência Ulysses Guimarães. Por meio de música e poesia, o artista popular João Bello fez brincadeiras e provocou reflexões sobre os direitos das crianças e dos adolescentes, o meio ambiente e a vida.

Em seguida, representantes das instituições que promovem o evento, fizeram a saudação aos presentes. Pelo Sismmar, falou a coordenadora geral Eloísa Helena Grilo. Ariete Tomegawa saudou os presentes em nome do Conselho Municipal de Educação. A secretária da Educação Janete Schiontek representou o Executivo e o vereador Paulo Horácio, a Câmara Municipal.

Reforçando a necessidade de se trabalhar a consciência dos estudantes a respeito de seus direitos, a pedagoga Andressa Scheffer Damasio apresentou a experiência desenvolvida pela Escola Municipal João Leopoldo Jacomel com alunos do 5º ano e a professora Jane Radvanskei da Silva.

Por fim, a professora Fabiane Lopes de Oliveira (PUC-PR) proferiu palestra sobre o tema central do Fórum, que é Educação como Direito Humano e Educação para os Direitos Humanos – Compromisso Público Social.

Ela abordou vários aspectos dos direitos das crianças e dos adolescentes, como forma de denunciar a naturalidade e a normalidade das violações de direitos e promover o pluralismo.

Apesar da Educação para os Direitos Humanos estar prevista desde a LDB, de 1996, somente em 2012 foram elaboradas Diretrizes curriculares para se tratar deste assunto nas escolas. “É um tema que perpassa todos os conteúdos. Só o fato de fazer o estudante entender para que serve o conteúdo a que ele tem acesso, contextualizar o conhecimento, já é uma forma de preservar o seu direito à Educação”, afirmou a professora

O objetivo é fazer estes estudantes se verem como sujeitos e como cidadãos. Por isto, é importante inserir os alunos no dia-a-dia político da escola, para que se torne cidadão autônomo e consciente dos seus direitos.

Na sexta-feira, os debates são em grupos. Pela manhã, palestrantes convidados expuseram o tema dos Direitos Humanos sob diferentes perspectivas. À tarde, os grupos realizam debate e elaboram propostas a serem encaminhadas à plenária final, na manhã de sábado, dia 29, no Centro de Convivência Ulysses Guimarães.

GRUPO 1 – Violência, Sociedade e Educação: Reflexões Sobre a Dimensão Escolar, com Ana Fabianovicz (UTP)

 

 

 

GRUPO 2 – Inclusão da Pessoa com Deficiência: Direito à Educação, Proteção e Cidadania, com Regina Bonat Pianovski (UTP)

 

 

 

GRUPO 3 – Educação Para as Relações Etnorraciais na Escola, com Denis Denilton (SEED) 

 

 

GRUPO 4 – Relações de gênero na educação: a superação do machismo, sexismo e homofobia, com Nanci Stancki (UTFPR)

 

 

GRUPO 5 – A Violência Doméstica em Araucária: Impacto Sobre Crianças, Adolescentes e Mulheres, com Tânia Guerreiro (sargento da Polícia Militar) e Deonilda Ruths Campos e Leoni Machado (Vigilância Epidemiológica)

 

GRUPO 6 – Direitos da Criança e do Adolescente: ECA e Violação de Direitos, com Olympio de Sá Sotto Maior Netto (Procurador do Ministério Público)

 

 

GRUPO 7 – A Educação Ambiental na Perspectiva dos Direitos Humanos, com Maria Arlete Rosa (UTP)