práticas antissindicais

práticas antissindicaisNo mês de setembro, a Secretária de Educação do município, Adriana Chaves Palmieri, abriu um Boletim de Ocorrência na polícia alegando que dirigentes do SISMMAR teriam caluniado ela através de uma live no Facebook, na qual a direção sindical reproduziu uma fala da própria Secretária, que agora ela nega ter dito. Ela também acusou os dirigentes sindicais de terem causado dano ao patrimônio público devido à colagem de cartazes (“lambe-lambes”) em diversos pontos da cidade.

Com a denúncia, a polícia começou a investigar o caso, mas não encontrou provas nem de um crime, nem de outro. A denúncia chegou ao Ministério Público (MP), que entendeu que não houve dano ao patrimônio público, uma vez que colar cartazes em áreas públicas não é proibido e não configura crime algum. Devido a falta de provas, o MP mandou encerrar essa investigação.

Quanto à acusação por suposta calúnia e difamação, por tratar-se de um crime contra a honra da pessoa, mesmo sem provas a Secretária ainda pôde escolher se continuaria com a denúncia e ela optou por seguir adiante. No entanto, embora faça acusação tão séria, até agora a líder da Secretaria Municipal de Educação (Smed) ainda não apontou quem seria o responsável pelo crime e não juntou provas ao processo.

O SISMMAR também já recebeu denúncias de que a Secretária estaria, sem citar nomes, acusando professores de promover “doutrinação ideológica” nas unidades educacionais, além de ter acusado um diretor de escola por, supostamente, ter enviado um áudio a difamando, material que também ainda não foi juntado na denúncia por calúnia e difamação.

Dessa forma, o sindicato esclarece que o que a Secretária Adriana vem fazendo são ações de retaliação e perseguição ao SISMMAR e seus dirigentes através de acusações sem provas. Reforçamos que cabe apenas à Adriana prosseguir com essas denúncias, até agora sem fundamentos, e que seria justo da parte dela cessar de uma vez por todas essa perseguição à organização dos trabalhadores da Educação de Araucária.

Sindicato é pra lutar e denunciar os desmandos dos patrões, e é isso que o SISMMAR tem feito! Os repasses das reuniões com o governo são fundamentais, assim como os materiais produzidos pelo sindicato.

Por todos esses motivos, é absurdo que a Secretária prossiga com acusações sem cabimento. Basta de perseguição, lutar não é crime!

Seguimos Firmes contra os desmandos da gestão Hissam e seus secretários!