coluna SISMMAR

coluna SISMMAR

Coluna do SISMMAR publicada na edição impressa do Jornal O Popular desta quinta-feira (29)

Mais uma vez, o prefeito Hissam fez promessas que não é capaz de cumprir. Em mesa de negociação de data-base, os diretores do SISMMAR e do SIFAR reivindicaram que o governo pagasse, a partir de julho deste ano, R$ 520 de vale-alimentação aos servidores. Na época, o próprio Prefeito anunciou na imprensa local que esse seria o valor pago, porém somente a partir de dezembro. Agora, além de implementar o reajuste do direito somente no final do ano, Hissam voltou atrás e afirmou que irá pagar somente R$ 500.

A desculpa da vez é que o valor será reduzido porque o vale-alimentação será pago em dinheiro e não mais através de crédito no cartão. No entanto, os trabalhadores não aceitam esse “argumento”, pois o fato de o valor passar a ser pago em espécie, e não mais através de crédito no cartão, não abre margem para que o prefeito promova descontos no valor do direito.

Não caia na propaganda enganosa de Hissam. Esta é apenas mais uma manobra do governo municipal para deixar de cumprir o que prometeu e, ao mesmo tempo, seduzir os servidores com a proposta de pagar o vale-alimentação em dinheiro. A luta dos sindicatos é para que o prefeito honre sua palavra, pois vinte reais fazem a diferença na vida do trabalhador!

Por isso, nesta última terça-feira (27), a fim de pressionar a Prefeitura, diretores do SISMMAR e do SIFAR participaram de uma reunião com representantes da gestão municipal. Sobre o valor do vale-alimentação, o Procurador Geral do Município prometeu dar uma resposta concreta na próxima terça-feira, dia 3 de setembro.

Além da reivindicação do pagamento no valor de R$ 520 para os trabalhadores, os sindicatos também reivindicaram que o vale-alimentação continue a ser pago no primeiro dia do mês. Mas, o governo não cedeu e afirmou que fará os depósitos até o 5º dia útil do mês.

E, para além dessas reivindicações pontuais, também é de conhecimento dos sindicatos que o prefeito Hissam pretende retirar direitos com o projeto de lei 2278/2019, que trata do vale-alimentação e que já está tramitando na Câmara de vereadores.

Isso porque esse PL visa transformar o que hoje é um auxílio-alimentação/refeição em apenas auxílio-refeição. Com essa alteração, o governo pode, por exemplo, abrir brechas para que, no futuro, os dias não trabalhados, como os dias de atestado médico, licença-prêmio ou maternidade, entre outros, possam ser descontados do vale dos servidores.

O SISMMAR E O SIFAR SÃO CONTRA ESSA MUDANÇA!

Assim sendo, mais uma vez os servidores de Araucária em conjunto com os sindicatos vão ter que lutar para que seus direitos sejam respeitados pela gestão que promete e não cumpre. Vamos juntos à luta por nenhum direito a menos!