A comissão encarregada de negociar critérios para a licença remunerada a professores para cursos de mestrado e de doutorado já está funcionando. No dia 27, às 14 horas, representantes do magistério voltam a se reunir na Smed para discutir o assunto.

O direito está previsto no Estatuto dos Servidores (art. 113) e no PCCV (art. 58), mas ainda não foi regulamentado. A proposta do Sismmar é possibilitar a liberação de pelo menos 1,5% do quadro a cada ano para estudos.

O Sismmar defende que, ao professor selecionado para mestrrado ou doutorado e que reúne todos os requisitos, deve ser garantido o direito de aprimorar seus estudos. É a própria rede que se qualifica.

A categoria precisa ter esta questão negociada e aprovada pelos vereadores ainda neste semestre.

Nesta negociação, a categoria é representada pelos professores Giovana Piletti, Gilziane Queluz e José Afonso Strozzi.