luta indígena
luta indígena
Reprodução: Brasil de Fato/Foto: Giorgia Prates

O SISMMAR vem a público manifestar apoio aos indígenas e seus atos de luta e resistência, como as ocupações da Secretaria Especial de Atenção à Saúde Indígena (Sesai) pelos povos originários, em Brasília e em Curitiba.

Os povos originários estão sofrendo uma série de ataques graves por parte do governo federal desde que Jair Bolsonaro assumiu a Presidência.

O que eles reivindicam é o “reestabelecimento da autonomia da gestão, a normalização dos repasses mensais, a renovação de contratos emergenciais de transporte, o fim da perseguição a lideranças indígenas, transparência no orçamento, retorno da participação social e a reativação dos conselhos que foram extintos arbitrariamente”, segundo nota oficial do Conselho Indigenista Missionário (CIMI).

Em Brasília, além dessas reivindicações, 115 indígenas que lideram a ocupação também estão na luta pedindo a saída da Secretária de Saúde Indígena, Sílvia Waiãpi, nomeada por Bolsonaro, que deveria defender aqueles a quem representa, mas trabalha alinhada aos ataques promovidos pelo governo federal.

No caso da ocupação do Sesai em Curitiba, os principais motivos são os ataques que os povos originários vêm sofrendo quanto às questões de saúde indígena. Cerca de 100 indígenas de todo o Paraná participam desta ocupação.

Para se ter uma ideia, se nada for resolvido até o final deste mês, eles vão perder os veículos de transporte da saúde indígena, o que é notoriamente grave, considerando que, em regra, as aldeias são em locais de difícil acesso. Na prática, isso seria condenar as populações indígenas à morte ou ao agravamento de doenças.

Como ajudar?

Neste momento, os indígenas – que estão na luta e ocupando a Sesai em Curitiba desde o dia 1º de julho – precisam de todo tipo de ajuda.

Portanto, quem quiser e puder ajuda-los pode ir pessoalmente e a qualquer horário, na Sesai (Rua Basílio Ovídio da Costa, 639 – Vila Isabel) ou na loja Xondaro (Rua Tibagi, 333 – Centro), em horário comercial.

Em qualquer um desses locais, roupas de frio, de adultos ou crianças, alimentos perecíveis ou não-perecíveis, itens de higiene e limpeza podem ser deixados.

FIRMES por nenhum direito a menos!