A violência contra a mulher foi o principal tema da manifestação de 8 de março deste ano. O Dia Internacional da Mulher também foi o mote para combater o machismo e exigir igualdade de direitos e respeito às diferenças.

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2012, o SUS (Sistema Único de Saúde) recebeu em seus hospitais e clínicas uma média duas mulheres por hora com sinais de violência sexual. Muitos destes atos ocorreram dentro da própria casa, cometidos por parentes ou gente conhecida.

Em Curitiba, a denúncia foi feita nas ruas do centro da cidade, em manifestação realizada por mais de 40 entidades e movimentos. A mobilização começou na Boca Maldita e seguiu rumo à Secretaria Municipal da Mulher, na Praça Garibaldi.

Na Boca Maldita, encenação denuncia a violência contra a mulher

No percurso, foram realizados atos para refletir e afirmar as bandeiras da luta feminista. Uma parada ocorreu na esquina das ruas XV de Novembro e Mal Floriano, para denunciar o padrão estético imposto pela mídia. Na frente da catedral a denúncia foi pela falta de apoio público às mulheres em situação de aborto. Esta é uma das principais causa de mortalidade feminina.

Fotos: Eliana Maria Santos