Junto com o pagamento dos vencimentos de janeiro estava a expectativa com o cumprimento do acordo firmado no final da greve. Mas tudo que a categoria recebeu foi mais um calote do prefeito.

Para encerrar a paralisação que durava 13 dias, em setembro, Olizandro Ferreira (PMDB) prometeu começar a regularizar as promoções e progressões a partir de janeiro. Em fevereiro os salários devem ser reajustados em 7%. Este foi o acordo que encerrou a greve.

O direito previsto no Plano de Carreira visa estimular professores a buscarem melhor qualificação profissional, por meio de cursos, com reflexo direto na melhoria da qualidade de ensino.

A partir deste mês deveriam começar a ser pagos os atrasados das promoções e progressões protocoladas em 2012, para regularizar esta situação. Também deveria começar a pagar os pedidos oficializados em 2013.

Olizandro já havia anunciado que não pagaria estes direitos ao pessoal da Docência I. Ele se baseou num parecer dos advogados da Prefeitura Municipal que confunde informações de um inquérito do Ministério Público. A apuração se refere a supostas irregularidades em promoções “diagonais” do antigo plano de carreira, que deixou de vigorar em 2008.

Documento da PGM diz que o inquérito se refere às promoções verticais do atual PCCV. É neste erro de interpretação que o prefeito está se apegando para negar os avanços na carreira ao pessoal da Docência I. Clique aqui para saber mais

Mas Olizandro está indo mais além. Resolveu rever os pedidos de promoção e progressão já aprovados e negando todos, inclusive para a Docência II.

O calote nos professores já está feito. A categoria vai à luta para receber seus direitos. Ninguém quer esperar 10 ou 15 anos na justiça para receber os atrasados

No dia 4 de fevereiro será realizada assembleia para os professores debaterem esta situação e definirem suas lutas por este direito e para a Campanha de Lutas de 2014.