greve global clima

greve global climaSexta-feira (20) será um dia de mobilização mundial contra o aquecimento global e as ameaças ao meio ambiente. Estão sendo organizadas manifestações em várias cidades ao redor do mundo para cobrar dos governos ações para barrar as mudanças climáticas, em defesa da vida e do planeta. Em Curitiba, a manifestação terá início na Praça Santos Andrade, com concentração a partir das 17h30.

O SISMMAR reforça o convite para que as professoras e professores municipais de Araucária se somem à mobilização em defesa do nosso direito à vida, pela preservação da Amazônia e de outros biomas como a Mata Atlântica, o Cerrado e o Pantanal.

O ano de 2019 começou com o crime ambiental e trabalhista em Brumadinho, que contaminou a bacia do Rio Paraopeba e resultou em mais 250 mortes. Agora, as queimadas criminosas na Amazônia colocam em risco a sobrevivência de todo o planeta.

As consequências da destruição da natureza afetam a vida de todos, mas os principais atingidos são as populações mais exploradas e oprimidas que vivem nas cidades, no campo ou em biomas em risco de extinção.

Os atos que compõem a programação da Greve Global pelo Clima são organizados por entidades e movimentos sociais de trabalhadores, estudantes, ativistas socioambientais, povos indígenas, quilombolas e camponeses.  O objetivo é cobrar ações dos governos e repudiar a política que coloca o lucro em primeiro lugar e incentiva queimadas e a destruição da natureza.

Em todo o Brasil, as manifestações do dia 20 de setembro também terão com pauta a preservação de direitos que estão sendo destruídos no governo Bolsonaro, como a educação, a saúde e a previdência social.