Os professores de Araucária aprovaram na assembleia de 13 de maio sua Pauta de reivindicações. O documento será entregue oficialmente e protocolado na Secretaria da Educação e no Paço Municipal nos próximos dias.

Clique aqui para ler o documento e clique aqui para baixar uma cópia

A Pauta de Lutas é composta por 106 itens, divididos em 18 temas. Os dois primeiros são definições burocráticas para assegurar a efetividade de um possível acordo e a transparência das negociações.

As reivindicações do Magistério começam de fato terceiro item, que trata do financiamento da Educação. A preocupação da categoria é assegurar recursos para que as propostas sejam efetivadas.

Os itens quatro, cinco e seis tratam de reivindicações corporativas, como o reajuste salarial, os benefícios pela atividade profissional, a carreira e os direitos previdenciários. Os professores vão pleitear para os salários o mesmo índice de correção do Piso Salarial Profissional Nacional, que neste ano foi de 13,01%.

Os itens sete, oito e nove da pauta de reivindicações tratam das condições de trabalho de maneira ampla. Abordam tanto as necessidades objetivas do professor, como evitar a superlotação de salas, até a melhoria da infraestrutura física e material das unidades educacionais, chegando a propor uma política de atenção à saúde dos profissionais da educação.

O item 10 busca reforçar a gestão democrática nas escolas e em todas as instâncias de decisão que a afetem a educação.

Do item 11 ao 16 são esmiuçadas as necessidades específicas de cada modalidade de ensino para garantir as condições de trabalho e promover a qualidade na educação pública. São questões referentes Ensino Fundamental – Docência I, Ensino Fundamental – Docência II, Educação Infantil, Educação do Campo, Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos.

A formação continuada é abordada no item 17.

Fecham a Pauta de Lutas as propostas da categoria para melhorar a segurança nas escolas e nos Cmeis.