Na manhã de 3 de junho as direções dos sindicatos Sismmar e Sifar foram à Prefeitura Municipal. Foram reafirmar a necessidade da retomada das negociações. Pedido de audiência havia sido protocolado.

Não havia ninguém para receber os servidores. O secretário de Gestão de Pessoas Rodrigo Lichtenfels passou pela sala de espera do gabinete e conversou rapidamente com os representantes da categoria.

Rodrigo disse que não seriam recebidos, que não há outra proposta e nem disposição da administração em negociar.

Em outras palavras, o prefeito está empurrando o funcionalismo para nova greve. No dia 13 vai ter assembleia para deliberar sobre a greve. Se a administração não se mexer, em julho vai ter greve. O magistério nem retorna às aulas depois do recesso escolar.