A greve unificada dos servidores municipais começou forte. Logo às 8 da manhã desta quarta-feira, 30 de março, a categoria começou a chegar à tenda instalada na frente da Prefeitura de Araucária.

A primeira atividade foi criar comitês de mobilização, para visitar locais de trabalho e conversar com servidores, chamando-os para engrossar o movimento.

Deu resultado. Durante o dia foram chegando mais e mais pessoas para a mobilização.

Foi sinal de que a greve ganhou corpo e é preciso reforçá-la mais ainda.

À tarde, os professores se concentraram na frente da Secretaria Municipal da Educação. Firmaram seu protesto para a secretária Janete Schiontek ouvir.

De lá, saíram em caminhada até a avenida Vitor do Amaral, onde se encontraram com os servidores das demais categorias, representados pelo Sifar. A passeata seguiu até o Paço Municipal.

Uma comissão de negociação buscou contato com o prefeito e demais autoridades, tentando mais uma vez abrir negociações.

A resposta que os servidores ouviram foi de que a negociação já havia sido feita. Era uma referência ao ofício apresentado no dia 15 de março, em que a administração municipal negou todas as reivindicações, sem apresentar qualquer contraproposta.

Em assembleia realizada às 16 horas, a categoria mostrou sua indignação à proposta de Olizandro (PMDB), de reajuste zero para os servidores e para o vale-alimentação e nada que atenda o funcionalismo.

Diante da intransigência do prefeito, decidiram por unanimidade manter a greve.

Todos os servidores de Araucária estão convocados para fortalecer a paralisação, dirigindo-se à tenda na frente da Prefeitura.