A Prefeitura Municipal divulgou recentemente nota oficial para informar à população que está atravessando séria crise financeira.

As informações divulgadas são as mesmas repassadas no início de 2013, dando conta que o gasto com a folha de pagamento superava o limite prudencial de 51,3% da arrecadação, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Na época, foram suspensos todos os direitos dos servidores de carreira previstos em leis.

Fica a impressão de que nada foi feito desde então.

Aliás, os dados são totalmente contrários às informações repassadas pela própria administração municipal em maio deste ano. Na ocasião, o secretário de Planejamento Fábio Alceu Fernandes anunciava a regularização gradual da arrecadação, que apontava para a saída do limite prudencial da LRF.

Em setembro de 2014, esta matéria do Portal Araucária parece muito atrasada. Assemelha-se a informação requentada.

Ou foi distribuída por engano uma nota feita no ano passado, ou sua publicação tenta preparar o espírito do funcionalismo e da população para mais arrocho, nos direitos e nos serviços.

Até as medidas anunciadas para reduzir os gastos são as mesmas. Incluem redução do pagamento de horas-extras e de funções gratificadas.

A exoneração de cargos comissionados, inclusive, é colocada de forma protocolar, porque a Lei de Responsabilidade Fiscal exige. A lei estabelece a redução de NO MÍNIMO 20% dos comissionados. O prefeito reduziu NO MÁXIMO 20% no ano passado. E já retomou as nomeações.

E o número de funcionários vem caindo. A Prefeitura tinha 5.569 servidores em 2012, e desde então 427 deixaram o serviço municipal. Hoje são 5.142.