Dirigentes do Sismmar e professoras da base da categoria estiveram em reunião com o secretário da Educação Ronaldo Martins e sua assessoria. O encontro ocorrido na tarde de sexta-feira, 8 de março, na Smed, tratou especialmente da licença para estudos.

Aos professores, o secretário afirmou que considera a reivindicação justa. Segundo ele, é preciso definir a forma legal e incluir no orçamento. Este último seria o obstáculo mais complicado, devido à queda de arrecadação de ISS após a conclusão da obra da Repar. 

A direção sindical alegou que o impacto na folha de pagamento será pequeno. Há uma média de 15 professores ou pouco mais por ano que têm requerido estas licenças.

Ronaldo Martins recebeu as propostas do magistério e remeteu para o setor técnico, que deverá apresentar seu parecer para a próxima reunião, já marcada para 19 de março. 

A proposta do sindicato:

– Conceder licença remunerada para estudos de pós-graduação a pelo menos 1,5% dos professores do QPMA, por ano.

– Enquanto não é assinado o decreto, a Smed deve repassar instrução às escolas reconhecendo acordos que liberem os professores para fazerem seus estudos, mediante declaração de frequência. O objetivo é fazer com que professores não percam aulas, enquanto esperam a publicação do decreto.

A diretoria do sindicato esteve representada na reunião pela coordenadora geral Giovana Piletti e pelo coordenador financeiro José Afonso Strozzi. Participaram também as professoras Maria Isabel Buccio, Márcia Regina Godinho Lois, Arlete do Rocio Ribeiro Lopes.