vale-alimentação
vale-alimentação
Diretora do SIFAR, Andréa Aparecida Faustino, entregando o ofício

Os servidores de Araucária tiveram uma conquista importante em relação ao vale-alimentação, que passa a ser de R$520, em dinheiro, a partir de dezembro. Essa é uma vitória do conjunto dos trabalhadores do município, que, juntos, pressionaram a administração, conversaram com a comunidade e garantiram o aumento. Mais um exemplo de que só com luta conseguimos avançar em nossas reivindicações.

Entretanto, precisamos continuar atentos. Essa ainda é uma vitória parcial do conjunto da categoria. Apesar de a Prefeitura ter feito ajustes no projeto de lei que protocolou na Câmara, a proposta ainda apresenta ataques aos servidores.

Isso porque, apesar do aumento, o PL abre margem para desconto do vale tanto em caso de licença para tratamento de saúde, licença gestação, licença prêmio ou afastamentos de outras ordens quanto para faltas justificadas. E isso é inadmissível! Não podemos ser descontados no momento em que mais precisamos!

A base de cálculo apresentada pela Prefeitura conta com 22 dias, entretanto, a administração não prevê como funcionaria para aqueles que trabalham dias a mais, os que estão em curso, em regime de escala ou plantão. E esses trabalhadores não poderão ser penalizados! Por isso, a proposta precisa ser revista!

Negociação

É importante ressaltar que, na negociação do dia 27 de agosto, o governo havia se comprometido em dar um retorno sobre a pauta do vale-alimentação até o dia 3 de setembro. Porém, a gestão Hissam não fez isso por livre e espontânea vontade. Apesar de já possuir a minuta do projeto de lei pronta, que inclusive já foi até lida na Câmara Municipal, só apresentou a nova proposta para os trabalhadores após muita pressão das direções do SIFAR e do SISMMAR. Os sindicatos tiveram que cobrar ativamente por uma resposta ao longo de toda essa terça-feira.

O SIFAR e o SISMMAR protocolaram na Câmara os motivos do porque o projeto não pode ser aprovado da forma que está. Os sindicatos também apresentarão essas justificativas na reunião das comissões dos vereadores que acontece nesta quinta-feira (5), às 9h. É muito importante que os servidores acompanhem esse debate.

Queremos que o projeto atenda as reais necessidades dos servidores do município. E, para isso, teremos que manter nossa mobilização nos locais de trabalho. A gestão precisa voltar atrás nas propostas que ameaçam direitos duramente conquistados pelos trabalhadores. Apenas com pressão que vamos conseguir defender nossos direitos.