Servidores municipais de Araucária lotaram o plenário da Câmara Municipal para discutir a possibilidade da Prefeitura dar um enorme calote no FPMA. Os debates ocorreram no Congresso do Fundo de Previdência Municipal de Araucária, realizado na tarde de hoje, dia 15.

Ocorre que os servidores aposentados podem não receber integralmente seus proventos neste mês de setembro. O prefeito Rui Souza enviou ao legislativo projeto de lei para ajustar o Plano Plurianual para prever no orçamento R$ 5 milhões para pagar aposentadorias que são de sua responsabilidade.

Este valor pode pagar no máximo os meses de setembro e outubro.

O ajuste orçamentário resolve um problema legal. Tem no orçamento, mas ainda faltam os recursos financeiros. Rui não sabe de onde tirar o dinheiro.

Os servidores firmaram compromisso de que não vão deixar barato e de ir à luta contra o calote.

Para os presentes ao debate, a assessora técnica do FPMA Liane Muraro expôs didaticamente aos presentes a relação entre a Prefeitura de Araucária e o Fundo de Previdência, desde antes de sua criação. Clique aqui para saber mais.

Ao fim dos debates, os servidores foram até a Prefeitura de Araucária. Apesar da quantidade de pessoas que chegou ao Paço Municipal ter sido menor que o público que havia lotado o plenário da Câmara, o recado foi dado.

Os servidores avisaram o prefeito que não aceitarão calotes na Previdência e no Vale-Refeição.

Se as aposentadorias de setembro não forem pagas, todo o funcionalismo volta para cobrar.

Até 15 de outubro o prefeito precisa informar como pagará novembro, dezembro e o 13º salário. A data também está na agenda dos sindicatos Sismmar e Sifar.