servidores

servidoresA política de desvalorização dos serviços e servidores públicos está em todo lugar. E aqui em Araucária o Jornal Popular embarcou nessa onda, buscando também prejudicar a imagem dos servidores públicos.

A confusão causada pelo Governo Federal, que não fez cruzamento de dados para pagamento do auxílio emergencial, tem gerado muitos problemas para os servidores. E as críticas, em vez de se direcionarem aos responsáveis pelo problema, focam nas vítimas.

Como publicado em nota na última semana, a maior parte dos servidores que tiveram seus nomes expostos e sua imagem prejudicada sequer solicitaram o auxílio, mas receberam o dinheiro graças à incompetência do governo.

Ao usar uma manchete sensacionalista, afirmando que esses servidores podem responder criminalmente, a publicação no jornal na data de hoje, contribui com o julgamento público que tem sido feito desses trabalhadores.

E é isso que os governos e poderosos querem fazer com os servidores: submetê-los a uma humilhação pública, para poder avançar livremente na sua política de privatização e desmonte dos serviços públicos.

O SIFAR e o SISMMAR repudiam essa ação, bem como de meios de comunicação e pessoas que aproveitam esse erro do governo para prejudicar e distorcer a imagem do servidor público, ao invés de cobrar os verdadeiros responsáveis, que são os governantes incapazes de ter organização e transparência na aplicação dos serviços públicos. Entendemos que o vazamento da lista nas redes sociais, emitida através de um termo de autuação do Tribunal de Contas do Estado e Corregedoria Geral da União enviada para a prefeitura, expôs a imagem dos servidores de forma vexatória e humilhante.

Cobrança junto à gestão

O SIFAR, por meio de ofício, cobrou da prefeitura e secretaria de gestão de pessoas, para que se pronunciem para que sejam disponibilizadas orientações a servidores que foram prejudicados com o caso, tanto de servidores que receberam o auxílio sem solicitar, quanto de outros que constam na lista sem sequer terem recebido o valor. Estamos no aguardo de uma resposta da prefeitura e minimamente uma retratação sobre essa situação.

Continuamos firmes em defesa dos servidores e serviços públicos!