Reunidos em assembleia no final da tarde desta quarta-feira, 18 de maio, os servidores municipais decidiram aumentar a pressão sobre a administração municipal por negociações (foto ao lado).

Para tanto, deliberaram por ocupar o salão nobre da Prefeitura de Araucária, onde a comissão de negociação deve permanecer até as negociações da pauta emergencial da categoria.

Dando um crédito às tentativas de intermediação feita por vereadores (foto ao lado), a categoria ainda não decidiu entrar em greve. Esta pauta será debatida na assembleia convocada para esta quinta-feira, 19 de maio, às 17 horas, em primeira chamada, e às 17h30min, em segunda chamada, na frente da prefeitura.

Os representantes da Câmara Municipal comprometeram-se a convidar o secretário de Gestão de Pessoas Rodrigo Lichtenfelds para esclarecer sobre os recursos destinados à folha de pagamento e buscar alternativas para o impasse.

Outra proposta dos vereadores é indicar à administração municipal que utilize no aumento do auxílio alimentação as verbas que serão devolvidas pelo legislativo. Se for aceita pela Prefeitura, será atendida em parte a reivindicação de corrigir o auxílio-alimentação, congelado desde 2012.

Jogo de cena

Quem conhece o prefeito Olizandro não se surpreendeu com o jogo de cena que ele voltou a protagonizar nesta tentativa de negociação.

As diretorias do Sismmar e do Sifar realizaram todas as formalidades para assegurar que nesta quarta-feira, às 13h30min, ocorresse a reunião de negociação. Isto fez parte do acordo que levou o funcionalismo a suspender a greve que já durava oito dias, em 6 de abril.

Na véspera da esperada negociação, o prefeito soltou nota pela página do Facebook da Prefeitura informando que o reajuste seria de 3%.

A categoria ficou indignada com o arrocho salarial proposto pelo prefeito e participou em grande número da paralisação realizada nesta quarta-feira.

Uma hora antes de ocorrer a reunião, foi anunciada sua suspensão. Para fazer mais pressão, no início da tarde, os servidores ocuparam o saguão de entrada do Paço Municipal (foto acima).

Quando a comissão de negociação conseguiu entrar no salão nobre e conversar com os vereadores, que tentaram intermediar as negociações, os servidores deixaram as dependências da Prefeitura. Como ainda não está prevista reunião com a administração municipal, foi deliberada a permanência dos membros da comissão no salão nobre, no 4º andar do edifício (foto acima).