Moção de repúdio

O Sismmar – Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária vêm por meio deste se solidarizar à luta dos professores, funcionários e estudantes da rede pública estadual que sofreram violento ataque policial em frente à Assembleia Legislativa do Estado do Paraná no dia 29 de abril de 2015 e manifestar repúdio ao governador Carlos Alberto Richa, ao secretário de Segurança Pública Francisco Fransischini e aos 31 deputados estaduais favoráveis ao projeto que promove o rombo à previdência dos servidores estaduais, que seguem:

  • Alexandre Curi (PMDB)
  • Alexandre Guimarães (PSC)
  • André Bueno (PDT)
  • Artagão Jr. (PMDB)
  • Bernardo Ribas Carli (PSDB)
  • Claudia Pereira (PSC)
  • Cobra Repórter (PSC)
  • Cristina Silvestri (PPS)
  • Dr. Batista (PMN)
  • Elio Rusch (DEM)
  • Evandro Jr. (PSDB
  • Felipe Francischini (SD)
  • Fernando Scanavaca (PDT)
  • Francisco Bührer (PSDB)
  • Guto Silva (PSC),
  • Hussein Bakri (PSC)
  • Jonas Guimarães (PMDB)
  • Luiz Carlos Martins (PSD)
  • Luiz Cláudio Romanelli (PMDB)
  • Marcio Nunes (PSC)
  • Maria Victoria (PP)
  • Mauro Moraes (PSDB)
  • Missionário Ricardo Arruda (PSC)
  • Nelson Justus (DEM)
  • Paulo Litro (PSDB)
  • Pedro Lupion (DEM)
  • Plauto Miró (DEM)
  • Schiavinato (PP)
  • Tiago Amaral (PSB)
  • Tião Medeiros (PTB)
  • Wilmar Reichembach (PSC)

Repudiamos a irresponsabilidade do Governo do Paraná. É inaceitável que, em plena democracia, professores sejam tratados com tanta violência. Com tamanho efetivo policial, utilizando bombas de gás lacrimogêneo, de efeito moral, ataques aéreos, cassetetes, balas de borracha, jatos de água para intensificar os efeitos do gás de pimenta que foram utilizados, de forma ininterrupta, contra professores desarmados, estabelecendo um cenário de guerra covarde e desproporcional, a fim de que deputados estaduais pudessem votar um projeto que contraria os interesses dos trabalhadores do serviço público estadual.

A democracia representativa, base do sistema político do estado brasileiro, sofre um grave ataque e o Paraná marca a história do país, com o governo Beto Richa (PSDB), pela tirania, covardia e extrema violência.