unidades escolares

unidades escolaresNos 45 do segundo tempo desta sexta-feira (22), a Secretaria Municipal de Educação (SMED) enviou um documento para as direções no qual orienta que as unidades escolares fiquem abertas a partir de segunda-feira (25) por meio de revezamento entre os trabalhadores. Ao que parece, a SMED quer forçar uma normalidade que não existe em tempos de pandemia.

Pouco antes de terem acesso ao documento, as direções do SIFAR e do SISMMAR estavam reunidas com o governo e a secretária Adriana Palmieri estava presente na reunião, mas, aparentemente, a secretária esqueceu de comentar sobre os planos da SMED com os sindicatos.

É absurdo que em meio a uma crise sem precedentes, a Prefeitura queira abrir as unidades escolares de segunda à sexta-feira, sem nenhum cuidado com as trabalhadoras e trabalhadores da educação e seus familiares. Até onde se sabe, Araucária é o único município que está exigindo a abertura das escolas e CMEIs durante o dia inteiro.

Apesar de deixar claro que os servidores que fazem parte do grupo de risco se mantenham afastados, os serviços que a gestão quer realizar nas unidades não são essenciais e não precisam ser realizados agora, expondo todos ao contágio de Covid-19. Além disso, a medida não diz nada a respeito das trabalhadoras que têm que se deslocar por meio do transporte coletivo até a unidade e se expõem durante o trajeto.

É importante ressaltar que os sindicatos não são contrários a abertura das unidades para distribuição de alimentos ou pequenos reparos, entretanto, é absurdo forçar que a unidade fique aberta durante toda a semana.

A gestão também se exime da responsabilidade e repassa todos os problemas para as mãos das direções das escolas, permitindo que cada local funcione de um jeito diferente, sem nenhum protocolo mínimo e nenhum controle.

Os sindicatos exigem que a SMED recue imediatamente na orientação enviada às escolas. Contra a exposição desnecessária ao Coronavírus!