Os servidores de Araucária foram surpreendidos por um decreto municipal em que a administração agride a autonomia do FPMA.

A história começa com a conclusão da auditoria de rotina que o Ministério da Previdência realizou no Fundo de Previdência Municipal. O relatório final determinou a criação de um Comitê de Investimentos no lugar da Comissão Interna de Investimentos.

A Comissão já existia e sua função era analisar onde e como o FPMA deve investir os seus recursos. Era composta por três membros, entre conselheiros e funcionários do fundo, com formação técnica específica para este trabalho.

Atendendo ao resultado da auditoria, o presidente do FPMA solicitou à administração municipal a transformação da Comissão em Comitê, com a mesma formação e as mesmas incumbências. Até indicou os nomes para sua composição.

Surpreendeu a todos a publicação do decreto elaborado pelo secretário de Finanças Sidnei Azarias e pelo procurador do Município Glauco Galize. Eles decidiram unilateralmente uma nova composição para o comitê. Impuseram. Não levaram o assunto para ser discutido com os conselhos de Administração e Fiscal.

Pelo decreto, o Comitê de Investimentos terá dois membros natos – o secretário de Finanças e o presidente do FPMA –, mais três membros, sendo um indicado pelo prefeito, outro pelos vereadores e um terceiro pelos conselheiros. O poder público forma maioria e os funcionalismo fica em minoria.

Se a comissão tinha até agora um viés estritamente técnico, agora ganha caráter mais político. E decisões que deveriam ser dos trabalhadores ficam nas mãos de burocratas.

É de interesse dos servidores saber onde e como são aplicados os recursos do Fundo, que podem ter impacto no futuro das aposentadorias.

Ainda está viva na memória a figura do lobista que o secretário de Finanças levou para dentro do FPMA, no início da gestão, e que tentou interferir nos investimentos.

Dinheiro dos servidores tem que ser controlado pelos próprios servidores!

ASSEMBLEIA – No dia 13 de agosto o Sismmar realiza assembleia com o magistério, na frente da Câmara Municipal. Será às 9 horas, em primeira convocação, e às 9h30, em segunda.

Será debatida esta agressão do prefeito à autonomia do Fundo de Previdência. Em seguida, às 10 horas, vamos participar do Congresso Extraordinário do FPMA, que acontece no Plenário da Câmara Municipal!

A cada dia que passa um fica mais parecido com o outro