XXI Sessão do Fórum

Organizado pelo SISMMAR, SIFAR, Conselho Municipal de Educação (CME) e representantes das unidades educacionais, o Fórum Municipal em Defesa da Escola Pública, Gratuita, Laica e Universal de Qualidade Social aconteceu nos dias 19 e 20 de setembro, na Câmara Municipal e no salão paroquial da Igreja N. S. do Perpétuo Socorro.

Voltado para os trabalhadores da educação, o evento simboliza a resistência de quem trabalha pela educação pública. Trata-se de um evento que busca discutir a qualidade da educação em Araucária.

Na abertura, participaram a Secretária Municipal de Educação, Adriana Chaves Palmieri, e o Secretário de Governo, Genildo Carvalho, porém a Prefeitura não contribuiu com a organização do evento, repetindo a postura do ano anterior, apesar dos convites para as reuniões de organização.

Com o trabalho coletivo e a seriedade com que o tema é tratado pelos professores, os auditórios ficaram lotados nos dois dias do evento para as palestras dos Professores Doutores, Maria Madselva (UFPR), que trouxe reflexões importantes acerca do acúmulo histórico que os trabalhadores da educação de Araucária construíram nos últimos 30 anos. Reafirmou a necessidade da formação continuada para a qualidade do trabalho docente e reafirmou o espaço escolar como um lugar de pluralidade de ideias, fundamental para a consolidação da democracia.

Com o Professor Luiz Fernandes Dourado (UFG), tivemos reforçado o conceito de que a educação é direito e não pode ser tratada como mercadoria. Em tempos de bancadas evangélicas, de governos conservadores, defendeu o Estado laico, lembrando que o espaço escolar deve tratar do conhecimento a partir da ciência. Ressaltou a importância de todos os envolvidos no processo educacional e de como é importante que a formação chegue para todos e, ainda, que a qualidade da formação continuada passa por condições de trabalho, salário, saúde dos trabalhadores e respeito pelo processo de ensino.

No encerramento, Naura Carapeto Ferreira (UFPR/Tuiuti) fez uma abrangente abordagem sobre a estrutura social levantando pontos fundamentais, como a manipulação da opinião pública e a necessidade de justiça no acesso ao conhecimento socialmente produzido.

Na plenária final foi discutida, de forma coletiva, uma proposta inicial para a elaboração de um plano de formação continuada, que respeite as indicações do conjunto de trabalhadores da educação de Araucária. O documento será encaminhado à Secretaria Municipal de Educação (SMED) e ao CME. A comissão organizadora também informou que outros momentos serão organizados, em forma de sessões extraordinárias do Fórum, para dar sequência ao trabalho.

A XXI Sessão do Fórum também contou com atividades culturais, com as apresentações de violino do Professor Valdemar Felix da Silva em conjunto com os alunos da Escolinha de Arte do Colégio Estadual do Paraná (CEP) e da leitura dramática de poesias, com a atriz Milena Caroline da Luz.

Por esses e outros motivos, o Fórum, além da função formativa, também consiste num importante espaço de resistência para a classe trabalhadora no que se refere à Educação. Seguimos firmes na Defesa da Educação de Qualidade para a Escola Pública!