Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária.

Search
Close this search box.

Nesta sexta-feira (21), às 8h da manhã, alunos, professores, funcionários, pais e mães fazem ato público em frente ao Colégio Estadual Prof. Júlio Szymanski em repúdio ao governo Beto Richa, que afastou arbitrariamente os integrantes da atual direção daquele colégio. Ontem (19), a diretoria geral da Secretaria Estadual de Educação (Seed) decidiu afastar os diretores Jurandir Salustiano e Álvaro José do exercício das suas funções. A intervenção se deu devido a supostas denúncias de irregularidades. A comunidade escolar entende que a atitude autoritária da Seed – que também indicará interventores para administração do colégio – é um atentado contra a Gestão Democrática, pois, a atual direção foi eleita pela Comunidade Escolar com maioria dos votos nas eleições diretas de 2011.

Em protesto a essa medida arbitrária, integrantes da comunidade escolar decidiram organizar para esta sexta-feira (21) o ato público “Em Defesa da Gestão Democrática contra a intervenção do Governador Beto Richa nas Direções eleitas das Escolas Estaduais”. Os manifestantes entendem que retirar os diretores das escolas, sem que os mesmos tenham passado por julgamento administrativo, é um ato truculento, opinião também compartilhada pela direção do Sismmar.

“Segundo nos informaram, a direção da Seed afastou imediatamente os professores dos seus postos de trabalho, sem que os mesmos fossem interrogados ou passassem por processo para averiguar as acusações. A atitude da Seed – e por extensão do governador Beto Richa – é um procedimento inaceitável e contrária ao estado democrático e de direitos. Vai de encontro à autonomia das escolas e à gestão democrática. Por ser contra qualquer tipo de intervenção e desrespeito aos processos democráticos, o Sismmar apoia o movimento da comunidade escolar. Além disso, entendemos que os professores acusados têm direito de serem julgados pelas atitudes que cometeram. Não podem ser expulsos e substituídos à revelia da lei”, afirmou a coordenadora geral do Sismmar, Giovana Piletti.

Segundo alegam alguns professores, os gestores escolares acusados também foram afastados por terem liderados vários movimentos em Araucária em defesa da escola pública. Temas como reformas nas escolas, construção de escolas estaduais novas, o fim da dualidade administrativa do Estado e Município e, entre outros, a exigência para que o Estado construísse escolas estaduais, sempre fizeram parte do discurso dos professores Jurandir e Álvaro José.

Mais informações: APP-Metrosul, com Avanir Mastey (9239 0640/ 96240779) ou Dirceu Ferreira (9244 0435).

what you need to know

in your inbox every morning