Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária.

Search
Close this search box.

Centenas de servidores do quadro geral e do magistério reuniram-se em assembleia no início da noite desta quinta-feira, 1º de agosto. Os debates se resumiram todos em torno da greve dos servidores municipais.

Foram duas assembleias, com votações separadas, no mesmo local, no salão da Igreja do Perpétuo Socorro. Elas haviam sido convocadas após a paralisação geral de 26 de julho, diante da falta de proposta do prefeito para descongelar os salário e restabelecer os direitos previstos no Plano de Carreira que estão suspensos, entre outros.

Somente agora, depois que teve início a construção da greve, pela primeira vez o prefeito apresentou uma proposta. Em ofício encaminhado ao Sismmar e ao Sifar, Olizandro prometeu começar a pagar os triênios e quinquênios a partir deste mês. Apresentou a seguinte escala: maio e junho, em agosto; julho e agosto, em setembro; setembro e outubro, em outubro; regularizando o atrasado e passando a pagar normalmente.

No mesmo ofício, o prefeito afirma que “em 31 de agosto se encerra o segundo quadrimestre, para efeitos legais do Tribunal de Contas, a partir do que estaremos em condições e avaliar a reposição salarial, prosseguindo nas negociações, inclusive em relação às demais reivindicações”.

Por isto, logo após terminar o segundo quadrimestre, em 3 de setembro os trabalhadores do serviço municipal vão fazer uma grande manifestação e cobrar do prefeito proposta às demais reivindicações. Se não houver avanço, a todas as categorias do serviço público entrarão em greve geral por tempo indeterminado.

Na assembleia ficou evidente a falta de credibilidade de Olizandro. Vários presentes denunciaram promessas não cumpridas pelo prefeito em sua gestão anterior e temem que ele repita a estratégia para postergar e não atender aos servidores.

what you need to know

in your inbox every morning