assembleia

assembleiaEm assembleia realizada com o conjunto da categoria na data de hoje (6), o magistério de Araucária tomou decisões importantes em relação ao momento histórico que vivemos e em relação às pautas locais.

Por unanimidade, os servidores decidiram reforçar ainda mais a resistência contra a reforma da Previdência, promovendo formações e elaborando materiais esclarecendo sobre a PEC 06/2019, que visa adequar os municípios e estados à nova reforma do governo federal.

Além disso, iremos incorporar uma frente de defesa do nosso Fundo de Previdência Municipal de Araucária (FPMA), junto ao SIFAR e ao próprio Fundo; e também no Estado do Paraná, com todos os sindicatos que estiverem em seus locais de atuação fundos próprios de Previdência.

Também nos preocupa a forma como estão ocorrendo as alterações referentes ao vale-alimentação sem diálogo com os servidores. O SISMMAR e o SIFAR já protocolaram na Câmara de vereadores uma emenda com sugestões ao projeto de lei enviado pelo governo. Não podemos aceitar correr o risco de que haja descontos no vale-alimentação. Os servidores estarão junto ao Sindicato fazendo a defesa do nosso vale com pressão nas sessões da Câmara de Vereadores!

O décimo terceiro salário, que não estava sendo pago de maneira devida para os trabalhadores, tem sido tratado em diversas mesas de negociação com o governo. O prefeito prometeu dar uma resposta até o dia 27 de setembro. A categoria decidiu: se não houver resposta, vamos buscar a via judicial para sanar essa questão, afinal nosso décimo é o que dá maior conforto às nossas famílias no período de final de ano.

Chega de esperar

Cansados da enrolação do governo, que não cumpre as promessas feitas, os servidores também decidiram dar um prazo à Prefeitura para apresentação das propostas: 4 de outubro.

O que pedimos nada mais é do que o reconhecimento de direitos que não estão sendo respeitados e a resolução para sanarmos as questões! Não é possível que direitos reconhecidos nacionalmente, como o 33% de hora atividade e aposentadoria especial de pedagogas, não sejam considerados em Araucária!

Não é possível que professores da Docência II sejam desrespeitados pelo processo acelerado de estadualização!

Não é possível aguentar a defasagem com a carreira congelada há sete anos!

Não é possível para as aposentadas, muitas das quais possuem rendas muito reduzidas, aguardar por mais tempo o reenquadramento!

Em mesa de negociação, representantes têm pedido “Paciência” aos servidores.

Pois bem, estamos no terceiro ano da gestão Hissam e já esgotamos o período de paciência!

Se até 4 de outubro não tivermos propostas concretas, efetivas e oficiais para as questões apresentadas, o Conselho de Representantes de outubro será na rua!

FIRMES!