O vice-prefeito Rui Souza apresentou ontem a “proposta” do prefeito para os servidores encerrarem a greve. Olizandro não se compromete com nada, nem em não descontar os dias de greve.

Sobre a reposição da inflação, o prefeito diz que vai pagar a partir do ano que vem. Como? Quanto? Em quantas parcelas? Não diz. Dá a entender que é a perder de vista…

Até o Fundo Rotativo para as escolas subsistirem Olizandro diz que depende de “disponibilidade financeira”. Mas a Prefeitura teve “disponibilidade financeira” para comprar espaços publicitários em rádios e jornais para pedir o fim da greve. Ou seja, dinheiro tem, mas para as prioridades do prefeito. Para as escolas não há “disponibilidade financeira”.

Sem nenhuma proposta concreta para fazer a negociação avançar, a greve continua. Confira a seguir imagem do ofício do prefeito. Não é possível aceitar uma carta vaga de que não aponta para nada.

Confira a proposta da Prefeitura, com comentários em vermelho.

Se não conseguir ler, pela baixa definição do site, clique aqui.