No último sábado, dia 28 de junho, no mundo inteiro, comemoramos o Dia do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT).

Nesta data em 1969 ocorreu na cidade de Nova Iorque a rebelião de Stonewall. Stonewall era um bar que por ser frequentado por LGBTs e alvo de repetidas batidas policiais, sem justificativas, sempre de forma bastante truculenta e preconceituosa por parte da polícia.

A rebelião ocorrida naquela noite foi somente o estopim desse processo de opressão policial contra as pessoas LGBTs. Os frequentadores se rebelaram contra o desrespeito policial e durante três dias fizeram os enfrentamentos. Tornaram o ato um marco na luta pela igualdade de direitos de LGBTs.

A 1ª Parada do Orgulho Gay ocorreu um mês após a revolta. A comunidade LGBT marchou pelas ruas da Nova Iorque, marcando a forte resistência à opressão e violência que sofriam e passando a exigir os mesmos direitos de toda a população heterossexual. 

A partir desta data é celebrado em todo mundo o dia do Orgulho LGBT. São realizadas paradas e outros eventos culturais, ou seja, a expressão de orgulho – e não de vergonha – de assumir publicamente a orientação sexual e identidade de gênero LGBT.

É importante frisar que este importante marco de luta partiu da resistência dos oprimidos e, portanto, o Dia do Orgulho LGBT é de luta contra a opressão por orientação sexual e identidade de gênero criada pelo próprio processo de luta e não pelos governos. 

É importante ainda afirmar que somente a própria luta dos oprimidos e trabalhadores em geral pode mudar a sociedade e não podemos nos negar a discutir esse tema e nos posicionarmos contra toda forma de opressão!